2

Depressão e Justiça Social

depressaoEJustica

Necessitamos de justiça. As famílias, a comunidade, o município, o estado e o país necessitam dela. Sem justiça não há ordem, respeito, igualdade, nem condições de vida digna. Sem ela a maldade impera seja disfarçada de democracia ou explícita numa ditadura. Sem justiça, a saúde mental da população é prejudicada pois tira a esperança da existência de uma sociedade equilibrada. A perda da esperança é um fator central no surgimento da depressão mental.

Dan Blazer, professor de psiquiatria da Universidade Duke, Carolina do Norte, EUA, diz que a sociedade caminha para a desesperança, fala do perigo de se medicalizar as emoções, que a violência social aumenta sem visão de melhora no futuro, etc.

Portanto, sem justiça vem a desesperança. Viver em desesperança gera, segundo Dean Ornish, cardiologista professor da Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia em São Francisco, o “cinismo social”. Rollo May, profundo pensador e ex-presidente da Associação de Psicologia de Nova Iorque, também descreveu este fenômeno. Cinismo social é o acostumar-se com desgraças da sociedade de maneira que você passa a brincar com elas, solta piadas em cima da dor, faz charges engraçadas com situações das corrupções no mundo dos poderes sociais. Acostuma-se com a dor social evitável. Perceberam que escrevi “evitável”?

Justiça é perdão quando pensamos na teologia dos escritos de Paulo aos Romanos, que diz que ao ser justificado pela fé, mediante a graça, somos perdoados e surge a paz e a esperança. Ou seja, a corrupção do caráter tem jeito para quem quer a cura. Mas quem não a quer, ou quer, mas fica só no desejo e não dá passos concretos para obte-la, já está julgado, permanece injusto, culpado. O corrupto que tem a ousadia maligna de dizer “Graças a Deus conseguimos esta propina!”, está pior do que aquele que dá graças ao diabo, originador de toda corrupção, por mais uma fraude cometida contra a população.

A maldade destrói a própria pessoa que a comete. O bem, a justiça verdadeira, destrói a maldade dos maus. “A malícia matará o ímpio.” Salmo 34:21. Mas os corruptos talvez não entendem isto, estão cegos para isto, e vivem com uma atitude mental de cinismo (consciente ou inconsciente?) disfarçada tantas vezes e frequentemente de frases pré-fabricadas visando o aplauso popular e a manutenção do poder. Não faz nenhum sentido permanecerem com o poder. Mas permanecem e, pior, são reeleitos. O que isto diz de nós, povo? O que ensina?

Vamos ter melhores governos? Não creio. Estou contaminado com a desesperança social? Sim, porque sem mudança de caráter do indivíduo, nada muda no social que seja duradouro, de valor ético, sem conflito de interesses, com real benefício para as classes menos favorecidas. Pense: a corrupção melhorou nos últimos 20 anos em nosso país? Ou apenas ficou mais exposta? A sociedade está mais tranquila porque a violência diminuiu? Se pessoas de poderes sociais permitirem ser movidas pelo bem tomarem atitudes mais firmes e houver decisões finais úteis que se tornem prática social real, volto a ter esperança de justiça social. Infelizmente creio que isto não ocorrerá. Não é por isso que vamos desistir de fazer o bem.

“Quando me interrogo por que sempre me empenhei por ser honesto e compreensivo para com os outros, e se possível sempre bondoso, e por que não desisti mesmo quando percebi que com isso a gente se prejudica, a gente passa a ser bigorna porque os outros são cruéis e não merecem confiança, na verdade não sei a resposta.” Neurologista James Putnam, da Universidade de Harvard, citado por Hans Küng em “Freud e a questão da religião“, p.100, Verus Editora, 2005.

Uma coisa é certa, os que têm assumido papéis de poder social terão que prestar contas um dia de seus atos. A impunidade não existe para sempre. Por isso, não perca a esperança. Se não você pode ficar deprimido.

Dr. Cesar Vasconcellos de Souza

Autor: Dr. Cesar Vasconcellos de Souza

Dr. Cesar Vasconcellos de Souza, médico psiquiatra e psicoterapeuta, membro da Associação Brasileira de Psiquiatria, membro da American Psychosomatic Society, consultor psiquiatra da revista Vida & Saúde onde mantém coluna mensal, professor de Saúde Mental, visitante, do College of Health Evangelism e "Institute of Medical Ministry" do Wildwood Lifestyle Center and Hospital, Estados Unidos, Diretor Médico do Portal Natural, autor dos livros "Casamento: o que é isso?" e "Consultório Psicológico".

Artigos Relacionados:

Receba grátis nossas novidades!

Compartilhe este artigo!

2 Comentários. Participe você também!

  1. to provide an example, a quality aspects associated with my own at home is for uncover I have commonplace, The if left to achieve dressier hosiery.

  2. Marcilene Nascimento disse:

    Pessoas ainda nos dias de hoje,com varias maneiras de obter imformações, criticam pessoas depressivas. só que na minha opinião são burras,aprender de tudo um pouco, é importante porque? se um dia estiver numa conversa com uma pessoa inteligente, não vai interagir no assunto, perde tempo criticando. Quando poderia té aprendido. Tudo que se aprende é importante;

Deixe Seu Comentário

Digite o código acima*


HOME | QUEM SOMOS | CONTATO



parceiroIASDO Portal Natural é um ministério de apoio à Igreja Adventista do Sétimo Dia
Parceria:


Copyright © 2002-2015 PortalNatural. Todos os direitos reservados.

Importante: As informações contidas neste site são destinadas unicamente para fins de informações e conhecimento geral, não devendo, em hipótese alguma, ser utilizadas como diagnóstico médico ou adoção de medicamentos. Qualquer dúvida, sintoma ou preocupação quanto à sua saúde, procure orientação médica ou profissional em sua respectiva área. | Os comentários postados nos artigos não constituem necessariamente a opinião dos criadores deste site, mas sim da própria pessoa que o postou. Não são permitidos comentários com citações de nomes, telefones, emails, sites, ou qualquer outro conteúdo que venha a expor ou difamar a imagem ou o sigilo de uma outra pessoa.