1

A saída para uma sociedade mais justa é a educação. Mas qual?

aSaidaParaUmaSociedade

Você acha que educação é abrir escolas? Acha que é contratar mais professores? Será distribuir material escolar gratuitamente? Que tipo de educação ajuda e que tipo não ajuda para que a população aprenda de verdade coisas importantes para a existência e para o bom funcionamento da comunidade?

O que você faria se fosse eleito Prefeito de uma cidade? Trabalharia mais e usaria mais recursos para a educação, segurança, saúde? O que priorizaria?

Pense no seguinte: Você acha que o povo pode adoecer menos se for melhor educado quanto à prevenção de doenças, noções de higiene, dieta saudável, importância dos exercícios físicos para a saúde, e coisas assim? Se forem melhor educados quanto a tais coisas, não poderão adoecer menos? E se adoecerem menos não precisarão muito menos de instituições de saúde, como hospitais, clínicas, ambulatórios? Então, a prioridade de um governo não deveria ser construir instituições de saúde, mas educar sobre princípios de saúde. E se pode fazer isto de muitas maneiras numa comunidade sem muita despesa.

Gastar muito dinheiro originado nos impostos que nós pagamos, com doação de “camisinhas” sem educar o povo é suficiente para a saúde deste povo? Exigir por lei que as propagandas de bebidas alcoólicas apresentem frases como “beba com moderação” ou “se beber, não dirija”, resolve? Ou estas são atitudes superficiais?

Na revista Vida e Saúde de Julho 2012, pág. 36, há uma propaganda de página inteira fantástica! Há uma foto de um carro todo arrebentado por causa de uma batida de frente. Em cima da foto está a frase: “A primeira batida foi com vodka, gelo e moderação.” E mais abaixo está a frase: “A segunda não.” Este é um dos vários tipos de propaganda para a prevenção de acidentes que um governo pode fazer. Dizer “beba com moderação” é insuficiente, superficial e acho que nem dá voto nas eleições!

O mesmo ocorre com a distribuição de camisinhas ou frases como “use camisinha”. Isto é, até certo ponto, deseducação. Por quê? Porque o indivíduo que pensa pouco, lê quase nada e vive mais pelos seus impulsos e desejos, acredita que usando camisinha está tudo certo. Mas usar camisinha é educar a pessoa quanto à sexualidade, prevenção de gravidez indesejada, passos para um matrimônio estável, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, formação de uma família? O tipo de educação que realmente funciona, não precisa gastar muito dinheiro do povo e nem só oferecer superficialidade. Mas o que o povo quer? Camisinha de graça ou educação sexual?

Nossas idéias acerca da educação têm sido demasiadamente acanhadas. Há a necessidade de um objetivo mais amplo e mais elevado. A verdadeira educação significa mais do que avançar em certo curso de estudos. É muito mais do que a preparação para a vida presente. Visa o ser todo, e todo o período da existência possível ao homem. É o desenvolvimento harmônico das faculdades físicas, intelectuais e espirituais.

Se você fosse eleito Prefeito de uma cidade e investisse em educação social, ou seja, como se comportar em sociedade, coisas simples como explicar por que é importante jogar o lixo no lixo, como prevenir o consumo de drogas, como respeitar o pedestre ao você estar dirigindo, e como respeitar o motorista ao você estar andando na cidade, como estacionar seu carro de maneira que respeite as leis de trânsito e não ocupe lugar que daria para dois carros, não diminuiria talvez a violência? A educação não é, portanto, prioritária?

Claro, tudo isto envolveria também a participação dos pais no lar para educar melhor seus filhos. Mas o governo poderia, com o apoio de instituições particulares, promover informações para os pais, cursos rápidos, workshops, palestras, folhetos, livretos, que os ajudariam a educar melhor seus filhos. E também deveria envolver, no meu modo de ver, educar os pais a educarem seus filhos desde pequenos a saber conseguir autocontrole emocional.

Se você fosse eleito Prefeito de uma cidade e desejasse ser honesto, não seria mais importante investir na educação profunda da comunidade? Um povo melhor educado é mais saudável, menos violento e com maior chance desta comunidade evitar a eleição de líderes corruptos ou a manutenção deles no poder.

Dr. Cesar Vasconcellos de Souza

Autor: Dr. Cesar Vasconcellos de Souza

Dr. Cesar Vasconcellos de Souza, médico psiquiatra e psicoterapeuta, membro da Associação Brasileira de Psiquiatria, membro da American Psychosomatic Society, consultor psiquiatra da revista Vida & Saúde onde mantém coluna mensal, professor de Saúde Mental, visitante, do College of Health Evangelism e "Institute of Medical Ministry" do Wildwood Lifestyle Center and Hospital, Estados Unidos, Diretor Médico do Portal Natural, autor dos livros "Casamento: o que é isso?" e "Consultório Psicológico".

Artigos Relacionados:

Receba grátis nossas novidades!

Compartilhe este artigo!

1 Comentário. Participe você também!

  1. Anne Kelly disse:

    Se eu fosse prefeita, com toda certeza valorizaria o profissional da educação, pois se temos escolas integrais, é com o professor que o aluno terá mais contato, ou seja, ele passa mais tempo na escola do que em outros espaços fisicos. Por esse motivo, valorizaria o professor porque é com ele que todas essas informações serão transmitidas.

Deixe Seu Comentário

Digite o código acima*


HOME | QUEM SOMOS | CONTATO



parceiroIASDO Portal Natural é um ministério de apoio à Igreja Adventista do Sétimo Dia
Parceria:


Copyright © 2002-2015 PortalNatural. Todos os direitos reservados.

Importante: As informações contidas neste site são destinadas unicamente para fins de informações e conhecimento geral, não devendo, em hipótese alguma, ser utilizadas como diagnóstico médico ou adoção de medicamentos. Qualquer dúvida, sintoma ou preocupação quanto à sua saúde, procure orientação médica ou profissional em sua respectiva área. | Os comentários postados nos artigos não constituem necessariamente a opinião dos criadores deste site, mas sim da própria pessoa que o postou. Não são permitidos comentários com citações de nomes, telefones, emails, sites, ou qualquer outro conteúdo que venha a expor ou difamar a imagem ou o sigilo de uma outra pessoa.