0

Valeriana: Uma Boa Opção Natural como Sedativo

Valeriana officinalis, uma das 250 espécies de Valeriana, é uma planta com substâncias de efeito sedativo originária da Europa, Ásia e naturalizada nos Estados Unidos. Tem um odor desagradável para a maioria das pessoas. Pode ser usada na forma de chá, tintura, cápsulas ou pílulas. Usa-se a raiz da planta para obter os agentes terapêuticos. Usada como erva medicinal desde a Grécia de Hipócrates, que escreveu sobre o uso clínico da Valeriana.

 

Ela tem sido prescrita para cólicas do estômago e intestinos, estresse “nervoso”, convulsões epilépticas e para o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Porém, ainda é necessário mais comprovação científica para apoiar o uso dela nestas condições médicas.

 

Uma principal indicação do uso da Valeriana é a insônia, leve ou moderada, podendo ter algum benefício como tranqüilizante (calmante) para ansiedade leve ou moderada.

 

Avaliou-se seus efeitos sobre 128 voluntários que tomaram 400mg de um extrato aquoso de Valeriana, uma preparação comercial contendo 60mg de Valeriana e 30mg de Lúpulo e placebo (medicamento sem efeito). Eles tomaram cada uma destas três preparações três vezes durante 9 noites não seguidas, respondendo um questionário na manhã seguinte após cada tomada. Comparada com placebo, a Valeriana em extrato resultou numa melhora estatisticamente significativa no tempo requerido para começar a dormir, na qualidade do sono e no número de vezes que a pessoa despertou durante a noite. A preparação comercial não produziu resultados estatisticamente significativos neste estudo.

 

Num segundo estudo examinaram 121 pessoas com insônia não-orgânica que tomaram 600mg de Valeriana (raiz seca) ou placebo por 28 dias. Usaram vários instrumentos para medir as respostas e viram que após os 28 dias o grupo que recebeu o extrato seco da raiz da Valeriana teve uma diminuição da insônia comparado com o que recebeu o placebo. (estudos do NIH – National Institute of Health – Instituto Nacional de Saúde dos EUA).

 

Num estudo duplo-cego (ambos, paciente e médico não sabem qual pílula é qual, dentre as opções do estudo) avaliaram 202 pessoas com insônia não-orgânica. Deram 600mg de Valeriana (extrato da raiz) ou 10mg de oxazepam (tranqüilizante sintético da família do diazepam) por 6 semanas. Usando-se vários instrumentos avaliadores, conclui-se que ambos os grupos tiveram a qualidade do sono melhorada, porém o grupo que tomou a Valeriana reclamou muito menos efeitos colaterais indesejados (28.4%) do que o grupo que tomou o oxazepam (36.0%). (American Academy of Family Physicians, April 15, 2003).

 

Outro estudo (também duplo-cego) avaliou 36 pessoas com Transtorno de Ansiedade Generalizada. Elas tomaram, ao acaso, ou placebo, ou diazepam 2.5mg ou extrato de Valeriana 50mg, todos os 3 tomados 3 vezes ao dia durante 4 semanas. Verificou-se que, ainda que sendo um pequeno grupo de pessoas, os que tomaram o diazepam e a Valeriana tiveram uma significativa redução da ansiedade medida pela Escala de Ansiedade de Hamilton (HAM-A), usada por pesquisadores para medir níveis de ansiedade.

 

Efeitos desagradáveis da Valeriana são raros. Mais comuns são dor de cabeça, distúrbios gástricos, coceira. Ela é vendida sem receita controlada e é bem segura. Uma grande vantagem é que parece não produzir dependência química, o que ocorre com indutores do sono e tranqüilizantes sintéticos (flurazepam, flunitrazepam, nitrazepam, midazolam, diazepam, alprazolam, clobazam, clonazepam, etc.). Médicos que trabalham com fitoterápicos costumam prescrever a Valeriana para ajudar a pessoa a “desmamar” da dependência dos tranqüilizantes convencionais.

 

Para insônia, a dose usual de Valeriana (extrato da raiz em cápsulas) varia de 300 à 600mg ou pode-se usar 2 a 3 gramas da erva seca como chá de infusão em um copo de água quente por 10 a 15 minutos. Cápsulas ou chá tomados 30 minutos antes de ir dormir.

 

Mulheres grávidas ou amamentando não deveriam tomar Valeriana sem orientação médica por causa de possíveis riscos para o feto e a criança em amamentação no peito. Também crianças abaixo de 3 anos de idade não deveriam tomá-la. Deve-se ter cuidados com pessoas que já fazem uso de tranqüilizantes, álcool ou outras drogas sedativas como os barbitúricos, pois usando junto pode aumentar demais o efeito sedativo.  

 

Portanto, se você tem insônia e quer uma opção melhor do que os indutores do sono ou tranqüilizantes (para evitar dependência e outros efeitos indesejáveis e gastar menos dinheiro, etc.), a Valeriana pode ser a solução junto com a mudança de hábitos ruins que contribuem para a dificuldade de ter um sono reparador. Também contribui para um bom sono parar de fumar, parar de usar bebidas cafeinadas e alcoólicas, dormir em quarto escuro, fazer exercícios físicos, reduzir o estresse emocional, etc. O melhor horário para um sono reparador de acordo com o ritmo circadiano é entre 10 da noite e 6 da manhã.

PortalNatural.com.br

Autor: PortalNatural.com.br

Portal de saúde e bem-estar com artigos, videos, receitas, nutrição, saúde mental, etc, para sua vida ser mais saudável, simples e feliz.

Artigos Relacionados:

Receba grátis nossas novidades!

Compartilhe este artigo!

Deixe Seu Comentário

Digite o código acima*


HOME | QUEM SOMOS | ANUNCIE NO PORTAL NATURAL | CONTATO



parceiroIASDO Portal Natural é um ministério de apoio à Igreja Adventista do Sétimo Dia
Parceria:


Copyright © 2002-2013 PortalNatural. Todos os direitos reservados.

Importante: As informações contidas neste site são destinadas unicamente para fins de informações e conhecimento geral, não devendo, em hipótese alguma, ser utilizadas como diagnóstico médico ou adoção de medicamentos. Qualquer dúvida, sintoma ou preocupação quanto à sua saúde, procure orientação médica ou profissional em sua respectiva área. | Os comentários postados nos artigos não constituem necessariamente a opinião dos criadores deste site, mas sim da própria pessoa que o postou. Não são permitidos comentários com citações de nomes, telefones, emails, sites, ou qualquer outro conteúdo que venha a expor ou difamar a imagem ou o sigilo de uma outra pessoa.