12

Dados sobre o Suicídio

dadosSobreOSuicidio

No Brasil ocorreram 8639 suicídios registrados em 2006. Isto dá uma media de 24 mortes por dia. Estamos no nono lugar no mundo nesta questão. É triste isto e em geral fica encoberto porque se noticiam mais as mortes por acidentes, homicídio, etc.

O Estado do Rio Grande do Sul é o que apresenta as mais altas taxas de morte por suicídio no país. A média estadual, em 2005, foi de 10 suicídios para cada 100 mil habitantes (17 em homens e 3 em mulheres). Entre a população indígena no Mato Grosso do Sul há elevado índice de suicídios também, com média de 8,6 (12,4 em homens e 4,7 em mulheres). Uma tristeza e uma vergonha. No Nordeste o Ceará é o Estado com maiores taxas de suicídio daquela região.

Tem aumentado os coeficientes de mortalidade por suicídio em nosso país, principalmente entre jovens e adultos jovens do sexo masculino. Nesse grupo (entre 15 e 29 anos de idade), o suicídio responde por 3% do total de mortes e se encontra entre as três principais causas de morte. Os números oficiais que temos certamente estão subestimados. Calcula-se que as tentativas de suicídio superem o número de suicídios em pelo menos dez vezes.

Há no Brasil um estudo realizado com apoio da Organização Mundial da Saúde, na área urbana do município de Campinas. Nesse estudo, a partir de listagens de domicílios feitas pelo IBGE, 515 pessoas foram sorteadas e entrevistadas face-a-face por pesquisadores da Unicamp. Verificou-se que, ao longo da vida, 17,1% das pessoas “pensaram seriamente em por fim à vida”, 4.8% chegaram a elaborar um plano para tanto, e 2,8% efetivamente tentaram o suicídio. De cada três pessoas que tentaram o suicídio, apenas uma foi, logo depois, atendida em um pronto-socorro. (Botega e cols., Rev. Bras. de Psiquiatria, 2005).

A assistência prestada a pessoas que tentaram o suicídio é uma estratégia fun- damental na prevenção do suicídio, pois essas constituem um grupo de maior risco para o suicídio. O risco de suicídio em pacientes que já tentaram o suicídio é, pelo menos, uma centena de vezes maior que o risco presente na população geral.

Não há uma causa única para o suicídio. Ele envolve fatores socioculturais, genéticos, psicodinâmicos (conflitos interiores), filosófico-existenciais e ambientais. A existência de uma enfermidade mental é um importante fator de risco para o suicídio. Uma revisão de 31 artigos científicos publicados entre 1959 e 2001, somando 15.629 suicídios na população geral, demonstrou que em mais de 90% dos casos caberia um diagnóstico de transtorno mental à época do ato fatal (Bertolote e Fleischmann, World Psychiatry, 2002). Neste estudo de 15.629 casos de suicídio, verificou-se que 3.2% não tinham diagnóstico; 10.6% tinham esquizofrenia; 11.6% tinham transtorno de personalidade; 22.4% tinham transtornos ligados ao uso de substâncias (dependência do álcool e de outras drogas psicoativas) e 35.8% apresentavam transtorno do humor (depressão, doença bipolar). A situação se agrava quando há combinações do doenças, como depressão e alcoolismo, ou depressão, ansiedade e agitação.

Mas isto não quer dizer que todo o suicídio relaciona-se a uma doença mental, e nem que todo mundo que sofre doença mental irá se suicidar. Mas é importante considerar que a presença de doença mental é um fator de risco para o suicídio.

Há uma grande complexidade na causa do suicídio (fator predisponente), e ela envolve mais coisas do que apenas um fato ocorrido recentemente (fator precipitante) como a demissão do emprego ou fim de um relacionamento amoroso. As condições sociais, por si só, também não explicam esta tragédia. Pessoas que se matam e que estavam vivendo uma destas condições sociais muito provavelmente apresentavam um transtorno mental subjacente, e isto aumentou a vulnerabilidade ao suicídio.

No fundo, o suicida não quer morrer. Ele não sabe é como continuar vivendo com aquilo que para ele é um beco sem saída. Mas sempre há uma saída. Não necessariamente para aquilo que a pessoa desejava, mas pelo menos para ela aprender a suportar a perda e a frustração, assim como aprender a lidar construtivamente com a raiva contra a realidade que ela joga contra si mesma, se agredindo mortalmente.

Este texto é baseado nas informações colhidas no site da Associação Brasileira de Psiquiatria http://abp.org.br/2011/comunidade/ (acesso em 03/Maio/2011).

Dr. Cesar Vasconcellos de Souza

Autor: Dr. Cesar Vasconcellos de Souza

Dr. Cesar Vasconcellos de Souza, médico psiquiatra e psicoterapeuta, membro da Associação Brasileira de Psiquiatria, membro da American Psychosomatic Society, consultor psiquiatra da revista Vida & Saúde onde mantém coluna mensal, professor de Saúde Mental, visitante, do College of Health Evangelism e "Institute of Medical Ministry" do Wildwood Lifestyle Center and Hospital, Estados Unidos, Diretor Médico do Portal Natural, autor dos livros "Casamento: o que é isso?" e "Consultório Psicológico".

Artigos Relacionados:

Receba grátis nossas novidades!

Compartilhe este artigo!

12 Comentários. Participe você também!

  1. Daiany disse:

    Lembrem que fomos criados para viver e não para morrer, a morte é uma consequência do pecado. Devemos sempre estar ligados a Deus, só nele teremos a vida eterna.

  2. Jacialva Arouck disse:

    Gostei dos dados doa artigo, realmente a sociedade esta doente e o poder publico precisa de politicas publicas para minimizar esses dados. Durkhein apontava a falha para a desorganizacao da sociedade e a falta de regras ou o excesso delas, acho que ‘e por a’i e mais um pouco, por isso acho que como cidad~aos temos que exigir sempre de nossos politicos e isso se faz com voto responsavel e acompanhando os feitos de nossos candidato no decorrer do mandato.

  3. Jacialva Arouck disse:

    Weide, ap’os ler um texto desses como vc pode falar tamanha besteira?! Estamos falando de impotencia, dessa forma que vc poe ningu’em poderia ficar doente pq estaria atentando contra Deus tamb’em.N`ao esqueca o livre arbitrio que Deus nos concedeu.

  4. FELIX disse:

    Nao é só falta de fé, é a crença em si mesmo e falta de apego, apoio moral de familiares, e a falta de crença nas pessos proximas que sofreram eternamente a falta desta pessoa que se vai sem imaginar os transtornos que causará sem retorno. Donde temos que achar um pilar e ter fé em si próprio e saber que sem nós mesmos fazemos falta. desde a vida dos nosso filhos e que todo o esforço de uma mae para dar a luz e o sacrifio dos pais foram em vão. POR FAVOR PENSE TB EM QUE FICA, que Deus existe e nao é virando as costas para os problemas e abandonando as pessoas que os amam, que irá resolver os problemas.
    Nunca deixe de acreditar que dentro de si tem muito mais a conquistar.

  5. FABIO disse:

    É fácil falar falta de fé para quem não está vivendo na pele esse tipo de problema,

  6. Manoel disse:

    É só procurar uma igreja adventista do 7° dia e se salvar.
    oras… Que falta de fé desse pessoal!

  7. vera ribeiro disse:

    li o artigo gostei ;estou sentindo na pele pois uma filha minha esta cemana ligoume desesperadamente dizendo que estava angustiada, e que tava com vontade de se matar,mas detalhe fiquei pasma pediu que eu oraçe por ela,faloume que não estava nela ai senti pois ela nao é cristã,e ´so a oração e DEUS, pode mudar este quadro;e todos os outros do mundo. que DEUSme de forssas para nunca parar de orar.

  8. Claudia Tonetto disse:

    Gostei do artigo mais achei muito tecnico com bastante informacao tecnica e dados ofciais, apenas o ultimo paragrafo achei oportuno e muito inriquecedor. Desulpem se nao fui muito positiva em meus cometarios mais pelo titulo do assunto esperei mais. :sad:

  9. Tania disse:

    Excelente matéria e bem esclarecedora. Obrigada Dr.César.

  10. weide muniz disse:

    o suicidio é algo repugnante sem maior amor pela propria vida pois que nos deu a vida foi deus por sermos a sua criação que como ele mesmo disse somos image e semelhança e deve só a ele tirar ou dar vida

  11. valdecir soranzo disse:

    Desculpem digitei errado a palavra PRECISAMOS.

  12. valdecir soranzo disse:

    Muito bom.Precosamos nos consientizar desse grave problema e preveni lo.Continuem assim.Sou fa de vcs!
    Um forte abraço!!!!!!!

Deixe Seu Comentário

Digite o código acima*


HOME | QUEM SOMOS | CONTATO



parceiroIASDO Portal Natural é um ministério de apoio à Igreja Adventista do Sétimo Dia
Parceria:


Copyright © 2002-2015 PortalNatural. Todos os direitos reservados.

Importante: As informações contidas neste site são destinadas unicamente para fins de informações e conhecimento geral, não devendo, em hipótese alguma, ser utilizadas como diagnóstico médico ou adoção de medicamentos. Qualquer dúvida, sintoma ou preocupação quanto à sua saúde, procure orientação médica ou profissional em sua respectiva área. | Os comentários postados nos artigos não constituem necessariamente a opinião dos criadores deste site, mas sim da própria pessoa que o postou. Não são permitidos comentários com citações de nomes, telefones, emails, sites, ou qualquer outro conteúdo que venha a expor ou difamar a imagem ou o sigilo de uma outra pessoa.